fbpx
Now Reading
O que você precisa saber quando viajar para França

O que você precisa saber quando viajar para França

Tempo de Leitura: 14 minutos

A França é um dos países mais visitados do mundo e é famoso pelos queijos, vinhos, crepes, pães e doces refinados. Quando pensamos em Paris logo imaginamos a Torre Eiffel, o museu do Louvre, o Moulin Rouge, a famosa loja Channel, a Catedral de Notre Dame e um picnic às margens do rio Sena.

Além disso, a França já foi morada de Leonardo da Vinci, Voltaire, Sartre e Santos Dumont, conta com um dos 5 parques da Disney espalhados pelo mundo, possui o maior número de Prêmios Nobel de Literatura e o maior número de chefs renomados e premiados, elevando o nível da culinária e a tradição Masterchef. Com patrimônios históricos, museus e exposições por todos os cantos, quando caminhamos pelas ruas francesas muitas vezes nos sentimos parte de um livro de história ou de um filme romântico.

O que o lema “Liberté, égalité, fraternité” fala da evolução da sociedade francesa

Liberdade, Igualdade e Fraternidade é o lema do país e a herança do século das Luzes durante a Revolução Francesa que aconteceu entre 1789 e 1799, sendo um dos eventos históricos mais revolucionários do país que teve repercussão em toda a Europa. O objetivo principal era derrubar o Antigo Regime e instaurar um Estado Democrático que representasse e assegurasse os direitos de todos os cidadãos.

A Revolução iniciou em Paris com a revolta da população e a Queda da Bastilha. Hoje em dia é possível ver um monumento alto na Place de la Bastille chamada de Colonne de Juillet (Coluna de Julho) onde ficava a prisão que foi demolida. Partes da Bastille ainda estão vivas, porém, não como uma prisão já que foi demolida; foi usada para construir a Pont de la Concorde que atravessa o rio Seine mas também em vários outros lugares, como o sino do relógio e os sistema das roldanas no Musée d’Art Campanaire.

A França tem uma longa história na defesa dos direitos humanos. O lema “Liberté, égalité, fraternité” consta nas constituições de 1946 e 1958, e hoje é parte integrante do patrimônio nacional e das escolas.

Visite a História em Paris

Andar por Paris é visitar um museu a céu aberto. Mas você precisa entender um pouco da história para poder fazer sentido os tantos prédios e construções lindas pela capital francesa. É muito mais legal quando a gente sabe do que já foi vivido em algum lugar… E haja história para contar!

Alguns lugares interessantes em Paris que possuem relação com a Revolução Francesa, além da Place de Bastille e da Pont de la Concorde:

  • La Conciergerie
  • Palais-Royal
  • Pavillon de Flore
  • Place de la Concorde
  • Les Invalides
  • Assemblée Nationale (antigo Palais Bourbon)
  • Tuileries Garden
  • Hotel de Ville

O feminismo e a liberdade de gênero

Um fato curioso é que a Revolução Francesa também foi um ponto crucial para o movimento feminista. Antes da revolução: “lugar da mulher era dentro de casa”, porém durante a revolução, as mulheres começaram a ter mais voz na sociedade, por exemplo na Marcha das Mulheres em Versailles.

Foi nessa época que Olympe de Gouges se opôs à Assembleia Constituinte, que era como um parlamento na época, da qual excluía completamente as mulheres dos direitos políticos, escrevendo e publicando o que se tornou o fundamento original do feminismo, contrapondo a ”Declaração dos Direitos do Homem”. Sua publicação foi: ”Declaração dos Direitos da Mulher e do cidadão feminino” em pleno século XVIII, falando sobre a emancipação da mulher e a total e incondicional igualdade entre os dois sexos.

O cancan apareceu pela primeira vez em 1830 e ia contra os valores da época, e também era um tipo de “chamado” para mudanças e evolução da sociedade francesa, desafiando a política naqueles tempos, mostrando mais o corpo da mulher com maior liberdade, sendo também considerado como um tipo de manifestação feminista por alguns estudiosos. Infelizmente, nessa época, a dança não era bem vista nem comentada, mas tomou popularidade no século XIX quando a França vivia seu melhor momento pouco antes da Primeira Guerra Mundial, quando Charles Zidler e Joseph Oller decidiram fundar o famoso Moulin Rouge em Paris (1889) que mais tarde se tornou parte da cultura francesa.

No livro Segundo o Sexo de Simone de Beauvoir, ela mostra a condição do feminino e das mulheres em várias culturas em uma perspectiva histórica e filosófica. Inclusive, o divórcio e o aborto foram dois temas que marcaram o movimento no país durante a década de 70 – tanto que o aborto é legalizado desde 1975 na França, com algumas exceções.

Toda essa questão histórica já dá para imaginar como são os franceses! Com a voz dessas mulheres ao longo dos anos, é possível ver a liderança na política, em cargos altos e existe uma igualdade de gênero melhor que muitos outros países. Isso também é um ponto muito positivo para mulheres que viajam sozinhas, que podem se sentir acolhidas e respeitadas na França.

Para a comunidade LGBTQI+ também é um destino muito aberto, uma vez que a França aceita casamentos com pessoas do mesmo sexo desde 2013.

Arte e Cultura

Cinema e Fotografia

A França também já foi um dos países mais importantes para a indústria do cinema entre os séculos XIX e início do século XX. Acredita-se que os irmãos Lumière (August e Louis) foram os “pais” da cinematografia, quando criaram um curta L’Arrivée d’un train en gare de La Ciotat lançado em Paris em 1895.

Clemont-Ferrant além de um charme de cidade com uma arquitetura linda, é uma das cidades mais antigas da França. É lá que acontece um dos mais antigos festivais de curta-metragem do mundo – Festival du Court-Métrage.

Arles é uma cidade que fica entre Marseille e Montpellier, onde encontra-se um anfiteatro e monumentos da época romana tombados pela UNESCO, e é local também onde Van Gogh morou por um ano e pintou algumas obras como: Terraço do Café à Noite, Noite Estrelada sobre o rio Ródano e Quarto em Arles. A cidade é um charme, tem um bairro judeu, muita história e também é onde acontece o Festival de Fotografia Rencontres D’Arles.

Alguns filmes famosos já foram gravados na França:

  • O Fabuloso Destino de Amélie Poulain,
  • Meia Noite em Paris,
  • O Código da Vinci,
  • O Resgate do Soldado Ryan,
  • O Diabo Veste Prada,
  • Os Miseráveis
  • De Pernas pro Ar 3
  • A Bela e a Fera

Arte

A França também têm pintores famosos na história da Arte como Pierre-Auguste Renoir, Edgar Degas, Édouard Manet e principalmente o famoso Claude Monet. Um fato interessante é que na Fundação de Monet em Giverny, encontra-se a casa e o jardim que serviram de inspiração à obras do pintor.

Você sabia que a França possui 12 fusos horários e um reinado? 

A França já teve sua realeza com reis e príncipes valiosos para a história do mundo e hoje é uma República, sua capital é Paris. O país faz parte da União Europeia, dentro da Zona Euro – portanto, a moeda é o euro, e está dentro do espaço Schengen, o que facilita muito a movimentação dos turistas entre vários outros países que fazem parte do Tratado.

  • Além da capital, as principais cidades são: Bordeaux, Lille, Lyon, Marseille, Nice, Nantes, Strasbourg, Toulon, Toulouse e Versailles.
  • Entre as regiões mais importantes estão: Alsace, Val de Loire, Normandia, Île de France, Nord Pas-de-Calais, Provance, Bretagne, Corse, Bourgogne e Occitanie.

Mas a França é uma República, não um Reinado!

Quem pensa que a França aboliu a monarquia depois da Revolução está enganado. Na Europa sim, foi abolido, mas existem vários reis que fazem parte dos territórios ultramarinos e um deles, Wallis e Futuna no Pacífico Sul, tem três reis. Esses monarcas são pagos pelo estado francês e têm autoridade sobre seus respectivos territórios.

Como assim? 12 fusos horários…

A França abrange mais fusos horários que qualquer outro país do mundo, graças aos territórios ultramarinos espalhados pelo mundo, e a cidade-estado independente de Monaco que faz parte do reinado francês. No território Europeu existe apenas 1 fuso, e os outros 11 são de outros países que um dia foram colonizados pelos franceses, e continuam parte do território francês.

Exemplo de alguns dos territórios ultramarinos mais conhecidos:

  • Polinésia Francesa na Oceania (Tahiti e Bora Bora são as ilhas mais famosas);
  • A tropical e vulcânica Ilha da Reunião, no Oceano Índico – situada a leste de Madagascar e próxima às Ilhas Maurício;
  • Guiana Francesa que fica na América do Sul, do lado do estado brasileiro do Amapá e da Floresta Amazônica.

Os cenários de conto de fadas na França

Não é à toa que vários casais escolhem a França como destino de lua de mel: Paris é o mais conhecido, mas a França conta com mais de 42 Patrimônios Históricos franceses que foram inscritos na UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade entre catedrais, caminhos sagrados, castelos e cidades medievais. E vamos combinar: cidades medievais são um charme só!

A região de Alsace

Alsace (Alsácia em português) é a região que fica no nordeste da França, próximo da Alemanha e da Suíça, cheia de vilarejos medievais charmosos com arquitetura que lembra muito a bavária cortadas por canais.

Na primavera é muito lindo ver flores por todos os lados. No outono a região fica alaranjada e no inverno você se sente em cenários de filmes – mas é bem frio. Lá é onde você vai encontrar um dos melhores Mercados de Natal da França porque tem forte influência alemã e suíça.

Para quem vai no verão e gosta de andar de bicicleta, existem várias rotas para aproveitar a vista e as pequenas vilas por lá.

Dica de Ouro: Para quem curte vinho, lá tem a Rota do Vinhoem breve explicaremos melhor sobre a Gastronomia na França!

A Bela e a Fera da nossa infância!

A cidade de Riquewihr foi inspiração – quase uma fotografia – do desenho A Bela e a Fera da Disney, um vilarejo medieval que fica a 10Km de Colmar e é considerado um dos mais bonitos da França.

O Pequeno Príncipe

Já pensou em passear pelo Parque do Pequeno Príncipe?

O Le Parc du Petit Prince está localizado em Ungersheim (uma cidade entre Colmar e Mulhouse) e é considerado o primeiro parque aéreo do mundo, com todo universo de Saint – Exupéry. O centro de atividades é dirigido às crianças de até 14 anos, mas é acessível para toda a família e admiradores da obra, tendo como principal atração um balão cativo (conectado ao solo por um cabo). O parque inclui um conjunto de atividades e atrações ao ar livre em pequenos edifícios, e é organizado em círculo em torno de pequenos corpos d’água. Os turistas também podem encontrar raposas e ovelhas andando livremente por lá.

Demonstrações de voo de pássaros em grupo também são observadas, além de ter uma área com trampolim, um pequeno trem que liga os dois lados do parque e um aerobar que permite tomar uma bebida com os pés ao ar livre, numa altura de 35 metros!

A região do Vallée de la Loire

O Vale do Loire (em português se pronuncia “Luar”) é uma região na França que se estende por 800km2 às margens do rio Loire e possui cerca de 1000 castelos – é o paraíso dos príncipes e princesas. A região central em volta do rio Loire é patrimônio da UNESCO.

Para os amantes do vinho, é também uma região interessante. Lá também é cheio de cerejeiras só pra deixar a paisagem ainda mais fascinante!

Muitos dos castelos foram saqueados e até destruídos durante a Revolução Francesa e alguns foram utilizados como base militar durante a Primeira e Segunda Guerras Mundiais.

A residência da Fera no filme

O Château de Chambord foi escolhido como o Castelo da Fera em, A Bela e a Fera, com a Emma Watson. É um castelo lindíssimo com arquitetura renascentista clássica, que na verdade era apenas uma “residência de verão”… Mas mostra o poder da França ao longo dos anos.

O conto da Bela Adormecida

Você sabia que o Château d’Ussé é em homenagem à Bela Adormecida? Em seu interior o conto de fadas pode ser visto através de personagens de cera e também é permitido subir numa torre, encantando a todos os visitantes principalmente as crianças.

Na verdade, esse castelo era apenas uma fortaleza e ao longo do tempo se tornou uma jóia renascentista como um palácio residencial nos séculos XVII e XVIII.

As Aventuras de Tintim

E foi no melhor castelo mobiliado e conservado do Vale do Loire, o Château de Cheverny, que o belga Georges Remi se inspirou para produzir os desenhos de Tintim e suas aventuras. Na verdade, é uma residência que pertence a mesma família há mais de 600 anos e lá possui uma exibição permanente dedicada ao personagem!

Outros lugares imperdíveis

  • Carcassonne: Uma cidade medieval amuralhada que é uma viagem no tempo e é patrimônio da UNESCO.
  • Mont Saint-Michel: uma ilha com castelo no topo e uma vista inesquecível na Normandia tombado pela UNESCO. Além disso, o castelo foi inspiração para o castelo da Rapunzel no filme Enrolados da Disney.
  • Château de Fontainebleau: um palácio que fica a 55Km de Paris, uma das maiores residências reais da França onde Napoleão passava férias, tombado pela UNESCO.
  • Château de Pierrefonds: onde foi gravada a série Merlin.
  • Château de Chantilly: um castelo que fica a 50Km da cidade de Paris, com referências ao desenho A Bela e a Fera.
  • Versailles: o Palácio mais famoso criado pelo Rei Luís XIV, o Rei Sol, – parada obrigatória para quem vai para Paris!

A Segunda Guerra Mundial na França

A França era uma das principais potências europeias antes da guerra, mas foi rapidamente derrotada pela Alemanha nazista que invadiu e ocupou o país em 1940. Isso marcou o início de quatro anos de opressão em que uma grande parte da população judaica foi deportada. Algumas regiões foram mais afetadas, entre elas a Normandia, a região de Alsace, a capital Paris e a região de Provence.

Em junho de 1944, a invasão aliada da Europa Ocidental começou e uma das maiores batalhas da guerra foi travada na Normandia. Durante essas lutas, dezenas de milhares de soldados e civis perderam suas vidas. A França emergiu da guerra como uma das grandes potências, e desempenhou um papel importante na formação da Europa do pós-guerra.

Apesar de todas essas regiões possuírem algum memorial histórico da época, é na Normandia que você vai encontrar a maior concentração de lugares desse assunto, como o Museu do Dia-D e da Segunda Guerra Mundial na cidade de Caen.

Praias, montanhas e campos…

A França possui a maior área territorial da União Europeia. Faz fronteira com países importantes como Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suíça, Itália, Espanha e é rodeado pelo mar Mediterrâneo, Oceano Atlântico, Mar do Norte, Canal da Mancha e o Mar Tirreno. O país tem de tudo que você quiser: montanhas, praias, campos, e muito mais!

Montanhas

Para quem quer ver neve, os alpes franceses podem ser excelentes opções na Europa para aproveitar das paisagens incríveis e do friozinho das montanhas. Para quem quer aprender ou já sabe esquiar ou fazer snowboarding, a França dispõe de vários resorts acolhedores para aproveitar o inverno.

Fazer aquelas viagens de filme, ficar em um chalé durante o inverno, com neve caindo lá fora e a lareira aquecendo seus pés, sentado na poltrona tomando um chocolate quente, depois de um dia intenso brincando na neve… Existem vários alpes franceses, e o mais famoso deles é o Mont Blanc, o pico mais alto da Europa !

E para quem gosta, a Tomorrowland Winter é na França (no Alpe d’Huez) e é comum de rolar alguns festivais nas montanhas!

Praias

O verão europeu é a estação em que as pessoas estão mais abertas e correm para a praia. A França é privilegiada por ser banhada por vários mares pela costa norte, sul, ou na ilha Corse – conhecida como a Ilha da Beleza, uma ilha francesa que poucos conhecem e fica pertinho da Sardenha, na Itália.

As praias do norte geralmente possuem a água mais fria e o clima também pode ser mais chuvoso e não tão quentes como nas praias do sul, que são banhadas pelo mar mediterrâneo, geralmente com água menos fria e pode fazer bastante calor.

A Riviera Francesa (Côte D’Azur em francês) é o lugar mais famoso que inclui Saint-Tropez, Cannes e até o micro-estado independente de Monaco. Contudo, existem outros lugares interessantes como Marseille, Cassir, Biarritz e até mesmo a Normandia!

As minhas estações favoritas são a primavera e o outono, onde podemos aproveitar as cidades com um frio suportável de 15 graus. Os meses de dezembro, janeiro e fevereiro são os mais frios (podendo nevar em algumas regiões), e julho/agosto são considerados os meses com as maiores temperaturas (de 35 a 40 graus). Nesse período acontece um fenômeno chamado canicule onde a onda de calor se instala, e os dias e noites ficam com temperaturas parecidas, ou seja que nós derretemos dentro e fora de casa praticamente em qualquer horário.

Campos de Lavanda e Girassol

Provence é a região da França onde se encontram alguns dos campos de lavanda e girassol, podendo encontrá-los juntos nos mesmos campos!

O ideal é chegar em Provence nos últimos dias de junho, ou por volta de 5 de julho para aproveitar além dos campos, os festivais do teatro em Avignon, de música lírica em Aix-en-Provence, de fotografia em Arles e os workshops que ensinam a fazer buquês e sabonetes artesanais de lavanda. A colheita é feita em 3 semanas e varia um pouco o tempo de floração e cultivo entre as duas principais regiões:

  • Leberon: região onde está situada Gordes com um museu da lavanda, e Roussillon.
  • Plateau de Valensole: região onde se encontra a cidade de Valensole.

Salina com águas rosadas

A Salin d’Aigues-Mortes é a primeira reserva de flamingos rosas da Europa, localizada em Occitanie (nos Pireneus do Mediterrâneo) e dedica-se ao cultivo de sal marinho de qualidade para alimentação, desde a época romana. A cor rosada da água está ligada à proliferação de micro-organismos do tipo algas microscópicas que florescem nas águas salgadas, mas que dá um charme para a região.

Inclusive, o local é uma reserva natural e alimentar, um viveiro com 200 espécies de pássaros, dos quais 157 são protegidas, sem citar as aves migratórias que aparecem entre a primavera e o verão.

Parques de diversão

Euro Disney

Eis que em 1992 a Disney abre seu mundo encantado em Marne-la-Vallée, na região metropolitana de Paris! O parque temático é enorme e atrai muitos visitantes ao longo do ano porque afinal: o mundo de conto de fadas é sempre um sonho! O parque tem a mesma proposta dos outros parques da Disney, com várias atividades e eventos, diversos brinquedos para toda a família. É importante planejar as prioridades no parque para não se perder ou não acabar perdendo alguma atividade interessante.

Se for ficar alguns dias a mais e você for fã da Disney, vale muito passar o dia em um dos parques de diversões mais famoso do mundo!

Asterix e Obelix

Asterix e Obelix é uma série de histórias em quadrinhos, livros e filmes criada na França por Albert Uderzo e René Goscinny no ano de 1959, baseada no povo gaulês e em grande parte no tempo do seu grande chefe guerreiro Vercingetorix. O personagem principal é Asterix e seu nome vem de astéristique, asterisco em português. Ele é um guerreiro gaulês, que no ano 50 A.C. vive numa aldeia da Armórica que resiste bravamente à ocupação de Júlio César e o Império Romano. Essa aldeia tem um druida, Panoramix, que prepara uma poção mágica que deu uma força sobre humana ao Obelix quando criança.

O termo gauleses vem de um conjunto de populações celtas (primeiros povos civilizados da Europa Ocidental) que habitava a Gália (em latim: Gallia), e hoje em dia esse território corresponde à França, partes da Bélgica, Alemanha e a Itália setentrional proto-históricas, provavelmente a partir da Primeira Idade do Ferro (cerca de 800 A.C.).

O parque temático foi inaugurado há mais de 30 anos (em 30 de abril de 1989) e fica localizado na cidade de Plailly, há 40 km de Paris e recebe mais de dois milhões de visitantes por ano.

Não cometa essas gafes se estiver na França!

Quem avisa amigo é! Vamos entender um pouco da cultura e evitar nos deparar com o lado não tão legal do francês.

Os franceses são julgados como arrogantes, principalmente por aqueles que vão à Paris, mas isso se deve porque, geralmente, os brasileiros quando chegam à Europa sem saber muito inglês e nem francês, acabam fazendo perguntas muito diretas sem nem pedir licença e dar “bom dia”.

Não são todos os franceses que sabem inglês e muitos deles se sentem até um pouco ofendidos se ninguém pede licença para falar, não dá “bom dia” ou agradece. Então, vamos começar a entender o outro lado da história, ser mais educados e, se possível, tentar algumas palavras como “merci“, “bonjour” e “au revoir” (obrigado, bom dia/olá, até mais)… Não é o máximo quando escutamos um gringo tentando falar português? Então vamos ser gentis com outras culturas também!

Outra coisa que pode gerar um choque cultural é quando vamos ao restaurante! Os franceses são, de modo geral, mais tranquilos e falam baixo. Já os brasileiros são mais festivos, barulhentos e falam mais alto. Então já viu, né? Eles podem olhar torto e se sentirem bastante incomodados se isso acontecer. Inclusive, se for chamar o garçom, esqueça o “Oh, parça!“, basta levantar a mão e fazer contato com os olhos. Gritar para o garçom pode ser um insulto para eles. Quanto a gorjeta, fica tranquilo: está incluso na conta.

Aos domingos, esqueça das lojas… É dia de descanso e eles levam isso bem a sério. Lembra o que falamos sobre a questão dos direitos humanos lá no início? Pois é… O comércio não abre aos domingos por motivos trabalhistas. É direito do trabalhador ter pelo menos um dia de descanso coletivo e aproveitar o tempo com a família.

No mais, pode ir sem medo! A França te espera!


Gostaria de viajar pela Europa e conhecer o melhor vários destinos de acordo com seu perfil de viajante?

  • Eurotrip Nutella: Sua viagem do seu jeito! Uma assessoria completa antes e durante sua viagem para poder aproveitar tranquilo(a) e ao máximo cada minuto na Europa passando por diversos destinos de acordo com seu ritmo.
  • Consultoria Around: Deixa que eu te ajudo no seu planejamento! Não vai passar perrengue buscando informação furada por aí… Se vem para a Europa, as Assessoras de Viagens que moram na Europa e possuem experiência em viagens estarão prontas para te ajudar, revisando seu planejamento e tirando suas dúvidas!
  • Eurotrip Raíz: Se você busca fazer um mochilão pela Europa, bem low-cost e quer fazer tudo por conta própria, veja as melhores dicas de viagem para o planejamento da sua eurotrip para evitar perrengues comuns. Mas saiba que viajar low cost por conta própria e sem conhecimento, é sempre um risco, por isso veja todo o conteúdo do Blog Around Europe e qualquer coisa, pode contar com as assessoras para uma breve consultoria!

Este artigo foi feito em conjunto com Ludmilla Kolanscki.

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Assessoria de Viagem para Brasileiros

Copyright © 2020 | All rights reserved

Scroll To Top