fbpx
Now Reading
O que você precisa de saber quando viajar para a Holanda

O que você precisa de saber quando viajar para a Holanda

Tempo de Leitura: 11 minutos

Já parou para pensar porque algumas pessoas falam Países Baixos e outras Holanda? Já se questionou qual seria o correto? Ou o por quê do nome Países Baixos mesmo estando no norte? 

Você sabia que é proibido a venda de maconha para estrangeiros por lá? Que os Países Baixos tem Rei? E que já fez parte da França? E que não é somente o holandês que é falado por lá?

Pois é… O país que tem mais bicicleta que gente vai muito além das tulipas, da redlight district (rua das luzes vermelhas), dos coffee shops, dos moinhos espalhados entre seus canais e da gastronomia holandesa

Afinal: É Holanda ou Países Baixos?

Na verdade, ambos estão corretos, mas indo ao detalhe um vai dizer mais sobre uma região e o outro o país como o todo. O nome real é Reinado dos Países Baixos.

De volta ao tempo, lá para 1588, a região era chamada de República dos Sete Países Baixos Unidos. Só que na época Napoleônica, a França conquistou essa região que se transformou em República Bataviana até 1806, quando o país se tornou um reinado! A província Noord-Holland e Zuid-Holland (Holanda do Norte e Sul) foram as principais províncias que ajudaram nesse processo principalmente porque eram províncias com economia mais forte, e acabaram associando os Países Baixos inteiros como Holanda. Porém, a forma mais correta englobando as 12 províncias do país seria Países Baixos, mas se você for para Amsterdam, você vai para a Holanda!

View this post on Instagram

The Netherlands boasts many wonderful restaurants, making it a perfect destination for real foodies! 🍽 😋 In addition to great restaurants, innovative restaurant formulas and Michelin-star establishments, our country also offers out-of-the-ordinary locations that add a special touch to your culinary evening. How about dining in the Villa Augustus in Dordrecht, for instance? It used to be a water tower and pump building but today it serves as a hotel and restaurant: Villa Augustus. The restaurant is located amid the vegetable plot where most of the ingredients are cultivated. The menu changes each season, reflecting the seasonal produce available. The chef is especially proud of his wood furnace, which is used to grill or bake dishes. You can be certain that you will enjoy a great and special dinner at Villa Augustus! Hit the link in our bio to discover nine more unique restaurants! Thanks Sigrid for sharing this stunner! 🙌 – Special thanks to @dasigrid to let us share this picture _
Your photo on our Instagram page? Tag #ThisIsHolland or mention us for a chance to get featured!

A post shared by Visit Netherlands (@visit_holland) on

E como é um reinado e a região da Holanda do Norte e Sul foi uma região próspera durante a época de ouro nos Países Baixos, claro que é possível encontrar muitas casas de campo luxuosas e diversos castelos dessa época e muitos deles hoje em dia viraram museus, hotéis, hostel, restaurantes…Ou seja, de alguma forma são abertos para visitação! 

Já imaginou se hospedar em um castelo holandês onde a família real já morou? Ou ter aquele jantar super romântico em um castelo? 

E se você for mais animado e gostar de andar de bike, existem até rotas para visitar diversos castelos de uma vez e ainda se exercitar “a la holandeses”!

E por quê o nome de Países Baixos?

Não encontrei fontes que relatam exatamente o porquê, mas podemos deduzir que é justamente pelo fato que 26% do país está abaixo do nível do mar! Amsterdã mesmo foi totalmente criada em cima de estacas e possui mais de 1200 pontes. Quando você chega no aeroporto de Schiphol, você aterriza a 4 metros abaixo do nível do mar. A cidade mais funda é a Nieuwerkerk aan den IJssel, chegando a mais de 6m abaixo do nível do mar.

Os Países Baixos tem chance real de serem simplesmente inundados, além do litoral extenso no país da qual possui um dos maiores portos do mundo em Rotterdam, também existem mais de 4.400Km navegáveis entre canais, rios e lagos no interior. Os holandeses já estão acostumados com a água, porque a sua história era entre perder as preciosas terras por guerras ou para as águas. Por isso o país acabou sendo reconhecido pelos moinhos de vento, estações de bombeamento de água e toda a parte hidráulica! Sendo, na verdade, o resultado da luta contínua de sobreviver em um país que além de ter muita água, quase ⅓ está abaixo do nível do mar.

Para entender melhor do que estou falando, visite o Woudagemaal, uma planta que foi criada em 1920 pra puxar o excesso de água da cidade de Friesland e funciona até hoje, sendo tombado pela UNESCO como patrimônio mundial. Outro lugar interessante para ver essa questão da gestão de água dos holandeses é o  Deltapark Neeltje Jans, um parque aquático que visa ensinar as pessoas não apenas sobre o mar, mas também sobre o terrível acidente de inundação de 1953 e o trabalho da Delta Works, a maior planta de prevenção de inundação. E se você gosta de se aventurar no mergulho, lá você pode mergulhar com os tubarões!

Os moinhos foram também uma criação para controlar o nível de inundação. Outro patrimônio tombado pela UNESCO são os moinhos de Kinderdijk, que prevenia a inundação da cidade de Alblasserwaard. São 19 moinhos e uma paisagem incrível e bem típica! O melhor é que é de fácil acesso de Rotterdam ou Amsterdam – de Rotterdam é possível até se aventurar em ir de bicicleta!

Mas também tem muita história por de trás dos mais de 600 moinhos de Zaanse Schans, com uma paisagem surpreendente onde vale muito a pena um passeio de barco!

O país inteiro tem paisagens lindíssimas entre canais, terra e uma vida muito diferente. A cidade de Giethoorn é conhecida como a “pequena veneza” pelos seus canais e charme com fazendinhas, pontes de madeira e com tempo agradável e aberto é uma vilazinha bem instagramável! 

O que tem a ver as Tulipas na Holanda e a Segunda Guerra Mundial?

Primavera na Holanda é realmente incrível com o tanto de tulipas e flores, de forma geral. 

Você sabia que 80% dos bulbos de flores no mundo vêm da Holanda? Pois é, e a maioria são tulipas, fazendo do país o maior exportador mundial de tulipas. E é incrível ver que o país que luta contra a água tem uma produção desse nível sendo tão pequeno, competindo com países como China, Estados Unidos e Alemanha na exportação vinda da agricultura, estando em uma posição de um dos maiores exportadores de sementes, bulbos, plantas, árvores, raízes e flores.

Mas sabia que as tulipas não são originalmente da Holanda? Exatamente! 

As tulipas foram trazidas da Turquia no século XVI e a planta tomou tal valor que chegou um momento em que elas custavam quase o mesmo tanto que casas por lá. Foi aí que os produtores começaram a ver a relevância da planta para cultivar e poder fazer uma boa grana. O problema é que rolou uma crise repentina no setor e deixou muitos produtores na miséria. Entretanto, não para por aí…

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Holanda também acabou sofrendo muito com as tropas nazistas. O Diário de Anne Frank mostra bem a realidade dura da época, inclusive tem o museu que era sua casa com seu “Anexo Secreto“. Contudo, existem vários outros lugares na Holanda além de Amsterdam com museus e monumentos da época contando todo o terror da guerra, da qual aqueles holandeses que não estavam no subsolo de suas casas, estavam na batalha enfrentando doenças e a própria guerra. A cidade de Limburg foi uma das primeiras a ter liberdade nesse período, mas outras cidades como Eidhoven, Nijmegen e Arnhem tiveram momentos significantes durante a guerra.

Já no final da Segunda Guerra Mundial, em dezembro de 1944, a Holanda estava por anos nessa vida de guerra, e chegou a um ponto em que as regiões ainda ocupadas já estavam desesperados por combustível e alimento e, então, chega o inverno conhecido como “o inverno da fome” da qual matou cerca de 20 mil holandeses. Mas nesse inverno da fome os holandeses descobriram que era possível comer os bulbos das tulipas e fizeram com que muitos sobrevivessem! Hoje em dia, todo terceiro sábado de janeiro, os holandeses celebram o Dia Nacional das Tulipas – o início oficial da temporada das tulipas – com colheita de flores e festivais de flores gratuitos.

Contudo, se você quer ver as tulipas na sua melhor forma, é recomendável ir final de março e abril. Keukenhof é o campo mais famoso de tulipas, contando com mais de 7 mil bulbos da flor e é realmente um show para os olhos com tantas cores, sem falar no perfume dessas flores. Mas foi em Leiden no Hortus Botanicus que a primeira tulipa holandesa pode ser admirada pouco tempo depois que o Brasil foi descoberto, em 1593, contudo você também encontra vários campos de tulipas nas regiões de Bollenstreek, Noordoostpolder e Kop van Noord-Holland.

Um fato curioso sobre essa questão agrária nos Países Baixos é que a cenoura laranjinha que comemos hoje em dia, foi uma criação do cultivo holandês! Antes as cenouras eram amareladas, esbranquiçadas e algumas até mais roxinhas… Interessante, né?

Coffee shops que não tem café 

Não é atoa que Amsterdam tem muitos brasileiros que acabam se aventurando em Amsterdam também para poder experimentar maconha em um dos famosos coffee shops e, ao chegar lá, se depara com um menu extenso de vários tipos de maconha para fumar e comer e não saber nem qual pedir. E muitos nem vão sentir uma “onda” esperada… 

As drogas nos Países baixos são ilegais: cultivar, colher, vender, possuir ou usar… Porém, o governo holandês permite fumar maconha e usar “drogas leves” sob algumas condições especiais, descriminalizando as drogas leves como a maconha e cogumelos alucinógenos, mas impondo algumas restrições. Isso porque o governo acredita que é impossível controlar todo tipo de drogas, e drogas leves não levam problemas sociais tão grandes, e ao legalizar os coffee shops é possível ter maior controle com relação às drogas no país focando nos crimes envolvendo as drogas mais pesadas.

View this post on Instagram

A post shared by Visit Netherlands (@visit_holland) on

See Also
Conheça Bruxelas com a Daniella – Bem Belga

Agora o que você não sabia é que a venda é proibida para estrangeiros desde 2012

Aí você vai me perguntar: “Então porque eu ouvi dizer que não-sei-quem foi para a Amsterdam e ficou doidão por lá?” 

Bom, é porque os únicos lugares permitidos a venda para estrangeiros é em Amsterdam e Rotterdam.

Os coffee shops só são permitidos a venda de até 5g de drogas leves por pessoa e não é permitido fazer propaganda para o consumo de drogas. A polícia tende a ignorar a posse pública de menos de 5 gramas (30g em particular) ou o cultivo de menos de cinco plantas, pois isso é considerado uso pessoal. Portanto, apesar de venderem uma mistura ou o produto puro de cogumelos e cannabis, o turista não pode levar lembrancinhas alucinógenas ou “relaxantes” para casa como souvenir. E levar esses produtos da Holanda para outros países é considerado crime. Comprar drogas – mesmo as leves– nas ruas também é considerado crime.

Além de Amsterdam: O Reinado dos Países Baixos

O Reinado dos Países Baixos não possui apenas os Países Baixos – da qual inclui a Holanda, mas também uma parte do Caribe! E fique sabendo que eles tem todo direito de votarem na Europa. As ilhas Bonaire, Sint Eustatius e Saba são ilhas holandesas no Caribe. 

E por ser um reinado, possui uma família real e é celebrado uma mega festa no país no dia do Rei, 27 de abril, e é uma festa chamada de Oranjegekte – loucura laranja, onde todos se vestem de laranja e é animação pura por todos os lados. 

O Reinado é uma monarquia constitucional. Isso significa que a posição da Rainha ou do Rei é estabelecida na constituição. O rei ou rainha é o chefe do estado holandês e forma o governo junto com os ministros. O rei Willem-Alexander é o chefe de estado do Reino dos Países Baixos desde 2013 e possui um sistema parlamentar. O país faz parte da União Europeia e utiliza o euro como moeda local – inclusive, cartão é muito bem aceito como forma de pagamento.

O governo fica na cidade de Haia (Den Haag), cidade conhecida como “a cidade da paz e da justiça” porque é onde se encontra o Palácio da Paz – Het Vredespaleis – com um prédio muito bonito construído em 1913. Lá no Palácio da Paz é onde fica o Tribunal Internacional de Justiça, o Tribunal Permanente de Arbitragem, a Biblioteca do Palácio da Paz e a Academia de Direito Internacional de Haia. A cidade em si é uma gracinha, com arquitetura do século XIX e fica no litoral onde se encontram as praias de Scheveningen, para descansar nos dias de sol, apreciar a vista do mar em um dos hotéis e restaurantes por lá ou até mesmo pular de bungee jump do alto da ponte.

O país tem a maior densidade populacional da Europa, sendo 40% nas regiões de Amsterdam, Rotterdam, Haia e Utrecht. Não falam apenas o holandês por lá! Na província de Frísia eles falam o idioma frísio e é considerado língua oficial também.  É normal que os holandeses sejam fluentes em 3 línguas: holandês, inglês e alemão são as mais comuns. Então, se você souber inglês você não terá absolutamente nenhum problema porque os holandeses possuem o maior índice de proficiência na língua inglesa – fica a dica para os intercambistas ou quem busca se aventurar em trabalhar em algum lugar na Europa que não necessite aprender a língua local! Inclusive, 20% da população na holanda é estrangeira.

O aeroporto de Schiphol em Amsterdam é o aeroporto que mais recebe vôos diretos no mundo, recebendo mais de 60 milhões de passageiros por ano. É um país que desperta a curiosidade de muitos que resolvem visitar e trabalhar por lá principalmente porque os holandeses tendem a ser muito abertos para estrangeiros – eles são realmente legais, mas podem parecer muito diretos! Socialmente dizendo, são mente aberta e bem tolerantes em relação a tópicos como aborto, eutanásia e uso de drogas leves como a cannabis. Inclusive, foi o primeiro país a legalizar o casamento gayo país é muito aberto com relação ao LGBTQI+ inclusive com uma festa do orgulho gay bem famosa em Amsterdam

Apesar do país ser um dos maiores exportadores de cerveja no mundo – alô amantes da Heinekein! – é proibido beber nas ruas, exceto quando está sentado em uma terraça em um bar ou em grandes eventos na cidade.

O país é culturalmente muito vivo, famoso por ter a maior densidade de museus no mundo, grande parte deles ficam em Amsterdam, mas existem muitos outros interessantes fora da capital e alguns é possível até visitar online como:

Se for para a Holanda, não se prenda apenas a Amsterdam. Aproveite como os holandeses para andar de bicicleta já que o país é totalmente plano e está muito bem preparado para esse tipo de atividade. Para quem não está acostumado – oi, turista! – é normal que acabe caminhando na faixa de ciclista, então fiquem de olho no chão com as marcas para pedestre e ciclistas. Mas lembre-se sempre de levar uma capa de chuva mesmo durante o verão! O clima nos Países Baixos é bem úmido e chove bastante, no inverno faz bastante frio também, é importante ter uma roupa térmica e resistente a água.

Algumas outras cidades que podem ser muito interessantes de visitar são:

  • Alkmaar: é onde tem o mercado de queijo mais antigo na Holanda com um centro histórico bem bonito.
  • Arnhem: para quem quer conhecer mais sobre a Segunda Guerra mundial, lá aconteceu uma das batalhas importantes dessa época na Holanda, mas é uma cidade verde, com parques interessantes e também excelentes para quem curte moda e design.
  • Breda: uma cidade pequena mas cheia de bares e restaurantes para provar a comida local. Ganhou o prêmio da Capital Europeia de Turismo Inteligente no tópico de acessibilidade na FITUR Madrid 2020, em janeiro. 
  • Nijmegen: a cidade mais antiga do país, entre campos e história, segue jovem e interessante para ser visitada.
  • Den Bosch: uma das mais antigas cidades medievais ainda muito bem conservadas.
  • Delft: onde é possível encontrar o museu das cerâmicas Delft Blue e onde nasceu Johannes Vermeer
  • Gouda: famosa pelos queijos mas também pelo famoso waffles, a cidade é um charme cheia de canais.
  • Groningen: é uma cidade universitária cheia de vida, excelente ideia para os jovens que querem uma outra opção para ir na Holanda.

Gostaria de viajar pela Europa e conhecer o melhor vários destinos de acordo com seu perfil de viajante?

  • Eurotrip Nutella: Sua viagem do seu jeito! Uma assessoria completa antes e durante sua viagem para poder aproveitar tranquilo(a) e ao máximo cada minuto na Europa passando por diversos destinos de acordo com seu ritmo.
  • Consultoria Around: Deixa que eu te ajudo no seu planejamento! Não vai passar perrengue buscando informação furada por aí… Se vem para a Europa, as Assessoras de Viagens que moram na Europa e possuem experiência em viagens estarão prontas para te ajudar, revisando seu planejamento e tirando suas dúvidas!
  • Eurotrip Raíz: Se você busca fazer um mochilão pela Europa, bem low-cost e quer fazer tudo por conta própria, veja as melhores dicas de viagem para o planejamento da sua eurotrip para evitar perrengues comuns. Mas saiba que viajar low cost por conta própria e sem conhecimento, é sempre um risco, por isso veja todo o conteúdo do Blog Around Europe e qualquer coisa, pode contar com as assessoras para uma breve consultoria!

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Assessoria de Viagem para Brasileiros

Copyright © 2020 | All rights reserved

Scroll To Top